Sporting de Espinho 4-1 A.D.Pontassolense

Espinho VS A.D.Pontassolense

Sporting de Espinho afastou A.D. Pontassolense da Taça de Portugal.

“A Após início cauteloso de ambas as formações, os tigres da Costa Verde, agora orientados por Filó, homem da casa que substituiu o saudoso António Jesus, começaram a assentar o seu jogo, logrando cedo a vantagem num lance de insistência de Carlos Manuel, a lançar em profundidade Pedro Godinho para este reamatar com êxito à meia volta.
A vantagem foi tónico para os anfitriões que, moralizados, organizaram melhor o seu jogo, remetendo os madeirenses da Ponta do Sol para o seu meio-campo.
Depois de Pedro Godinho ameaçar de novo, de cabeça, a baliza de Carin, foi a vez de os madeirenses comprometerem seriamente a baliza de Pedro Correia através dum livre superiormentecobrado por Rúben Pereira, junto ao bico da grande área local, fazendo a bola sobrevoar a barreirae atingir com estrondo a barra da baliza.
Já na segunda parte, quando se esboçava reacção visitante, os alvinegros foram felizes…e eficazes… num contra-ataque puro, Clayton intercepta a bola, desmarca Carlos Manuel que, já dentro da área, liberta-se dum adversário e remata cruzado, aumentando a vantagem espinhense.
A formação alvinegra entregou o domínio territorial ao conjunto insular, mas controlou sempre as operações, através dum ritmo vivo e concentração, sofrendo, no entanto, o primeiro abalo com a expulsão de Filipe após 2 amarelos em 5 minutos.
E logo de seguida, numa jogada de ataque bem gizado na direita, Zé Estrela vai à linha e cruza rasteiro para oportuno o ponta-de-lança Marcus a reduzir a desvantagem, aos 65 minutos, mudando o cariz do jogo.
A partir daí, mais se acentuava o pendor ofensivo madeirense e… mais venenoso se tornava o contragolpe dos locais que podiam ter restabelecido a vantagem de 2 golos, após recuperação de bola de Pedro Godinho a servir Hélder Lopes em profundidade e este a atirar contra o corpo de Carin.
A matreirice espinhense colheu frutos, porém, com mais dois golos, aos 83 minutos por Horácio a ganhar uma sucessão de ressaltos e a rematar sem muita força… mas com Carin a deixar escapar a bola das mãos para a sua baliza e, já em período de compensação, com domínio intenso forasteiro, de novo os tigres a marcarem após um roubo de bola de Carlos Manuel que, centrou para a esquerda, bola devolvida para a direita, surgindo no ar Hélder Lopes a fazer o golo da tarde, rematando à escorpião à semelhança do famoso Higuita.

Vítor Miguel, treinador do Pontassolense, considerou ontem no final da partida que o resultado (4-1) é muito enganador, pelo facto, justificando esta sua afirmação, com o facto de a sua equipa ter cometido muitos erros que se traduziram em golos do adversário.
“Foi um jogo bastante estranho, bastante equilibrado, mas com resultado muito enganador. Mas o futebol é assim, cometemos erros defensivos e oferecemos golos de mão beijada, por isso…”

Já Filó, técnico do Espinho, fez a seguinte leitura do jogo: “O Espinho fez um grande jogo. Foi pena terem-nos expulsado o Filipe, mas mesmo com dez jogadores, conseguimos fazer dois golos numa vitória justa em que a minha equipa está de parabéns”.
In: Jornal da Madeira. – 18 de Outubro de 2010.

Anúncios

%d bloggers like this: