Pontassolense 2-2 Oliveirense

Permeabilidade defensiva

Segundo, o repórter do diário de Noticias, o pontassolense teve tudo a seu favor para levar de vencida a única equipa que se mantém invencível neste escalão.

A Oliveirense destacou-se na primeira fase por manifestar grande supremacia sobre os adversários, confirmada nesta segunda fase. O Marítimo afastou esta equipa de Oliveira de Azeméis da Taça de Portugal como alguma dificuldade.

Pois foi perante este adversário com estas credenciais que o Pontassolense realizou um bom jogo. Por duas vezes esteve na situação de vencedor, com dois excelentes golos de Mário Rondon. Durante 60 minutos os nortenhos actuaram com menos um jogador, por expulsão de Artur. Glauco desperdiçou a hipótese de dilatar a vantagem ao falhar a conversão de uma grande penalidade. O pontapé do brasileiro foi muito denunciado e Tó Ferreira conseguiu desviar a bola pela linha final, beneficiando ainda da ajuda do poste.

Com os locais a assumirem o controlo do jogo, os nortenhos chegaram à igualdade num lance algo caricato. Num lance rápido Cleiton saiu a afastar a bola que sobrou para Vítor que ensaiou um “chapéu”. Paulo Pereira aprestava-se para conjurar o perigo, quando Cleiton desviou a bola para o fundo da baliza.

O Pontassolense enjeitou ensejo soberano de quebrar a invencibilidade do seu antagonista.

Pelo que fez ao longo da contenda o conjunto insular merecia a vitória, só que ontem faltou-lhe um guarda-redes com maior inspiração.

Reacções

Jorge Paixão (Pontassolense): “Os parabéns para os meus jogadores que efectuaram um bom jogo. Tínhamos o jogo controlado quando sofremos o empate, depois de desperdiçarmos uma penalidade.”.

Pedro Miguel (Oliveirense): “Mantivemos a invencibilidade mas o importante é subir de escalão. Vamos tentar…”.
DN 12/05/08

Anúncios

%d bloggers like this: