Descargas na ribeira da P. do Sol

280208.jpgNos últimos dois dias, a empresa adjudicatária que procede à execução das obras da expansão para norte da vila da Ponta do Sol, está a descarregar terras na ribeira da Ponta do Sol. O cenário consubstancia um autêntico atentado ambiental, na medida em que se está a alterar todo o caudal daquela ribeira. O movimento de camiões tem vindo a intensificar-se e as descargas sucedem-se a uma velocidade quase contínua, com muitos milhares de metros cúbicos de terra a serem despejados a norte da vila.

Ontem, alguns habitantes das redondezas alertaram o DIÁRIO para a situação, manifestando-se preocupados pelo facto de a água da ribeira estar a ser conspurcada com terras vindas de diversas obras no município e que desaguam no litoral próximo à marina, onde o mar apresenta já uma mancha. Este matutino pôde constatar a inquietação da população e confirmar que os despejos têm origem no desmantelamento da arriba do Lugar de Baixo, do túnel da Ponta do Sol e, ainda, do novo jardim municipal situado no centro da localidade. A par do avanço das obras e do afunilamento, verifica-se uma clara alteração do traçado do leito da ribeira e igualmente a diminuição do vale a montante da vila.

O estrangulamento, cada vez mais para o interior, permitirá posteriormente dar acesso à construção da via expresso Ponta do Sol-Canhas. No ponto extremo norte, onde estão a ser realizadas as obras, as máquinas tomaram quase por completo a ribeira. De tal forma que agora passa apenas uma ténue linha de água.

O DIÁRIO sabe que, na passada segunda-feira, a fiscalização da Câmara Municipal esteve no local, alertando os responsáveis pela obra que as descargas de terra não poderiam afectar a corrente de água. Ainda assim, era visível no decorrer do dia de ontem que o aviso foi completamente ignorado. A ribeira está, a cada dia que passa, mais irreconhecível.

DN 28/02/08

Advertisements

%d bloggers like this: