Marítimo B 2-0 Pontasolense

Os “reforços” da equipa a foram mais-valias para o Marítimo B ante o Pontassolense

Será, de alguma maneira, um eufemismo chamar derby a este jogo – derby, palavra de origem inglesa, que se refere a um jogo entre duas equipas da mesma cidade e com rivalidades históricas – mas, este embate, entre duas equipas madeirenses que procuram um lugar entre os seis primeiros da Série B da II divisão nacional, foi muito bem disputado e com algumas emoções proporcionadas ao bom número de público que se deslocou ao complexo do Marítimo, em Santo António.

11_02_08.jpgPara Jorge Paixão, treinador do Pontassolense, a sua equipa começou melhor a partida, o que até corresponde à verdade. pois Josivan teve uma boa oportunidade que não conseguiu concretizar. “Cometemos um erro que proporcionou o golo ao Marítimo B, refere-se Jorge Paixão ao lance em que Gonçalo, aproveitando uma falha defensiva pontassolense, isola-se e, com frieza, atirou à saída do guardião Vítor Pereira.

A verdade é que o Marítimo equilibrou a contenda e esteve mesmo à beira do 2-0, quando Ytalo soube aproveitar uma bola que lhe surgiu na cara do guarda-redes da Ponta do Sol. O mesmo acontecendo com Gonçalo, que definiu mal um lance, quando tinha Ytalo em boa posição.

Para a segunda parte o Pontassolense veio decidido a mudar o rumo dos acontecimentos. “Jogamos no risco, pois jogamos com três defesas, e penso que encostamos o Marítimo lá atrás e criamos duas oportunidades flagrantes de golo”.

Jorge Paixão refere-se ao momento do jogo, aos 50 minutos, quando Cristopher executa duas grandes defesas no mesmo lance, evitando que Glauco, primeiro, e Gleibson, depois, fizessem o golo. “Trabalho para isso, nesse momento estive bem, mas bem esteve toda a equipa durante todo o jogo”, refere o guarda-redes do Marítimo B.

Como quem não marca sofre, Ytalo, aproveitando um excelente cruzamento de Gonçalo, surge na cara de Vítor Pereira e cabeceou para o 2-0. “Foi um momento feliz e provamos que somos melhor equipa”, salientou em resposta ao treinador do Pontassolense, aquele que é o melhor marcador do Marítimo B com 11 golos. “Se já merecia ser chamado ao plantel principal? Apenas o treinador o pode responder”, responde o jovem artilheiro.

Até ao fim o Marítimo B fechou-se bem, não dando veleidades ao Pontassolense. “Foi um jogo com uma entrega fantástica de todos os meus jogadores”, elogiou Nelson Caldeira, que reportava-se, ainda, à importância da vitória. “Exigiu muito trabalho da nossa parte, mas foi uma vitória justa de um grupo em formação”. E ninguém falou do árbitro. Bom sinal.

DN 11/02/08

Advertisements

%d bloggers like this: