A. D. Pontassolense 1- 0 Espinho

03_02_2008.jpgVitória preciosa mas sofrida. Gleibson marcou e o Pontassolense ascende ao 4.º lugar

A A. D. Pontassolense conquistou um triunfo extremamente importante, que lhe valeu o “salto” para o quarto lugar da tabela classificativa. Tratou-se de uma vitória bastante sofrida, ante um adversário bastante forte a todos os níveis. Não foi uma partida agradável. Lutou-se muito e jogou-se pouco. A “guerra” pela conquista dos pontos tirou o discernimento aos intervenientes de ambas as equipas, que optaram pelo futebol directo. Os locais desde cedo demonstraram que queriam vencer.

Exercendo um pressing constante aos homens mais criativos, o Espinho tentava suster o maior ímpeto atacante do adversário, que viria a marcar, quando iam passados 32 minutos, através de Gleibson. Era o corolário lógico do maior domínio até então exercido pelos homens da Ponta do Sol. Na segunda período os locais voltaram à carga e aos 51 minutos, Hélder Vasco substituiu o seu guarda-redes. No entanto, com o decorrer do tempo os visitantes ganharam algum ascendente e acabaram por desfrutar de alguns ensejos para restabelecer a igualdade.

O técnico local ainda tentou modificar o rumo dos acontecimentos, mas as alterações efectuadas não surtiram qualquer efeito. Antes pelo contrário a equipa perdeu agressividade atacante. E, foi com o espectro da igualdade a pairar entre as hostes locais, que o árbitro deu por terminado o jogo.

A.D. Pontassolense: Vítor Pereira, Hugo Gomes, Diogo, César, Paulo Pereira, Adriano, Zeca (Celso, 90), Carlo (Ruben Pereira, 75), Gleibson, Glauco, Ângelo (Mário Rondon, 75).
Treinador: Jorge Paixão

Espinho:
Marcelo Galvão, Bruno Lucas, Rui Gomes (Nuno Silva, 72), Nuno Coelho, Marco Abreu, Fábio Espinho (Carela, 80), Valença, Amorin, Hélder Vasco, Leandro Rodrigues, Moreira
Treinador: Amândio Barreiras

Acção Disciplinar: Moreira5, Leandro R. 55, Glauco 86, Zeca 87, Paulo Pereira 90.
Golo: Gleibson (32)

Opiniões

Jorge Paixão (treinador do Pontassolense): “Foi um jogo difícil, ante uma boa equipa. Fomos melhores durante todo o jogo e merecemos vencer”.

Amândio Barreiras (técnico do Espinho): “Foi uma péssima arbitragem. Dominamos todo segundo período, mas o árbitro não nos deixou fazer nada”.

DN 04/02/08

Advertisements

%d bloggers like this: