Ponta do Sol ‘descura’ escultura dos 500 anos

Inserido nas comemoração dos 500 anos da fundação do concelho da Ponta do Sol, o “motivo escultórico” construído no centro da rotunda da vila, tem estado com muito mau aspecto devido à sujidade acumulada e a necessitar de manutenção, nomeadamente em termos de iluminação e nos motores das bombas de água que activam a cascata.

Da autoria do escultor Amândio Manuel Abreu Sousa, inaugurada a 2 de Dezembro de 2001 pelo presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim, sendo sempre feita manutenção para mantê-la em funcionamento pela vereação anterior, já que é um dos cartões-de-visita do concelho e se encontra num sítio central com muita exposição.

Já esta vereação, nos últimos tempos, tem de facto dado pouca atenção a este ‘ex libris’ do concelho do século XXI. Resultado: desde o lago vazio à sujidade de terra sobre todo o azul que o compõe, à iluminação nocturna que não funciona há vários meses. Somente a relva tem sido mantida.

Ora, para mais numa fase onde a expansão da vila está de facto a acontecer ainda mais para norte, com a nova estrada neste momento já em construção, o motivo escultórico está a dar má imagem à vila e já foi motivo de críticas por vários ponta-solenses, razão pela qual a autarquia decidiu agora resolver o problema.

Esta obra considerada artística só deveria estar composta com todos os seus elementos presentes: a cascata e a água límpida, assim como o fundo do lago azul, em vez de castanho, e com a iluminação nocturna a funcionar.

DN 28/08/07 Roberto Varela

Anúncios

%d bloggers like this: