Grupo Nau Catrineta – Concerto na Vila da Ponta do Sol

Decorre hoje o concerto do Grupo Nau Catrineta, banda portuguesa, inserido no ciclo de concertos ao ar livre, “Noites de Verão – Sons do Mundo”, a partir das 21hoo, marginal da Vila da Ponta do Sol.

Carrega no link para ouvir o Fausto cantar: Lá Vem a Nau Catrineta

Excerto
A nau catrineta
(Versão de Lisboa) Letra: Popular (Cancioneiro de Garrett), Música: Fausto

Lá vem a Nau Catrineta
que tem muito que contar!
ouvide agora, senhores,
uma história de pasmar.

Passava mais de ano e dia
que iam na volta do mar
já não tinham que comer,
já não tinham que manjar.

Deitaram sola de molho
para o outro dia jantar;
mas a sola era tão rija,
que a não puderam tragar.

Deitam sortes à ventura
qual se havia de matar;
logo foi cair a sorte
no capitão-general.

– “Sobe, sobe, marujinho,
àquele mastro real,
vê se vês terras de Espanha,
as praias de Portugal!”

– “não vejo terras de Espanha,
nem praias de Portugal;
vejo sete espadas nuas
que estão para te matar.”

– “acima, acima, gajeiro,
acima ao tope real!
olha se enxergas Espanha,
areias de Portugal!”

– “Alvíssaras Capitão,
meu capitão-general!
já vejo terras de Espanha,
Areias de Portugal.
Mais enxergo três meninas
debaixo de um laranjal:
uma sentada a coser,
outra na roca a fiar,
a mais formosa de todas
está no meio a chorar.”

– “todas três são minhas filhas.
Oh! quem mas dera abraçar
a mais formosa de todas
contigo a hei-de casar.”

– “A vossa filha não quero,
que vos custou a criar.”

– “Dar-te-ei tanto dinheiro
que o não possas contar.”

– “Não quero o vosso dinheiro
pois vos custou a ganhar.”

– “Dou-te o meu cavalo branco
que nunca houve outro igual.”

– “Guardai o vosso cavalo,
que vos custou a ensinar.”

– “Que queres tu meu gajeiro
que alvíssaras te hei-de eu dar?”
– “Eu quero a Nau Catrineta,
para nela navegar.”

– “A Nau Catrineta amigo,
É de el-rei de Portugal
pede-a tu a el-rei, gajeiro,
que ta não pode negar.”

Anúncios

%d bloggers like this: